Páginas

terça-feira, 1 de julho de 2014

Hakushaku to Yousei


Hakushaku to Yousei é um anime a que assisti muito recentemente. Encontrei-o por um acaso (como normalmente acontece com tudo que eu acabo fuçando e descobrindo). A primeira coisa que me chamou atenção foram os traços, que são impecáveis e muito delicados. Eu particularmente odeio mangás e animes em que todos os personagens tem traços infantilizados, rostos redondos, olhos inexpressivos e não parecem ter mais de onze anos. Nesse caso, os homens realmente parecem homens (não só na idade, mas também no gênero) e as mulheres, mesmo com rostos muito delicados, têm traços de moças e corpos de mulheres. Os cabelos são lindos e bem desenhados (tanto dos homens quanto das mulheres), o que me faz lembrar de outra coisa que me incomoda: aqueles cabelos mal feitos e espigados, além de terem cores absurdas que não combinam com o personagem nem com a realidade (não mesmo). Os protagonistas certamente me conquistaram de cara, visualmente falando. A garota é linda, jovem, com cabelos gigantescos e castanhos e olhos verdes. O rapaz, com cabelos loiros, lisos e olhos num tom violeta. Agora que a imagem já havia me agradado, e bastante, bastou dar uma lida na sinopse e ver se o livro também tinha conteúdo, e não só uma capa bonita.

 Lydia e Edgar... Essas imagens são simplesmente maravilhosas!

A história principal parece bem simples, mas à medida que avança vai se tornando cada vez mais complicada. Lydia é a protagonista, uma garota bondosa, meiga e filha de um professor. Herdou de sua falecida mãe a habilidade de ver e se comunicar com fadas (sendo chamadas de Fairy Doctors). Ela vivia na Escócia com seu gato-fada Nico (que é um personagem que merece uma atenção especial) e não tinha muitos amigos por ser vista como maluca, uma vez que as pessoas que acreditavam em fadas se tornavam cada vez mais escassas. Numa viagem para a Inglaterra Lydia acaba conhecendo Edgar, que de início não parece passar de um vilão assassino e muito abusado. Mais tarde ela descobre que ele se denomina um dos sucessores do Cavaleiro Azul, uma lenda de que esse homem teria várias terras no mundo das fadas. Em busca do reconhecimento como o Conde, ele acaba contratando Lydia para ser sua Fairy Doctor e ajudá-lo a se comunicar com as fadas e alcançar seus objetivos. 


Toda essa atmosfera do século XIX e na Europa é de tirar o fôlego!


A história é obviamente de fantasia e de romance. O romance não é repentino e forçado, como em muitos dos animes mais conhecidos. Tudo acontece de forma gradual e natural, tanto o desenrolar do romance quanto da história principal. Mesmo com tão poucos episódios (doze), somos capazes de nos apaixonar pelos personagens e qualquer um que tenha assistido desejaria uma segunda temporada.

Os dois combinam tanto!

O enredo pode se tornar confuso por abranger tantas lendas e folclore das mais diversas culturas. Criaturas mágicas como fadas, gnomos, selkies. Tudo isso é abordado e explorado na trama, que é recheada de fantasia e mitos que tem sidos deixados de lado (por não trazer histórias tão atrativas e comerciais, ou por simplesmente não serem mais consideradas verossimilhantes às pessoas), mas que são tão interessantes quanto os que estão em alta, como os vampiros e lobisomens.

Lydia, Edgar e Nico... Muito amor!

Lydia é uma protagonista adorável e fácil de se identificar. Bondosa, inteligente, teimosa e independente. Mesmo que pareça apenas uma dama indefesa (compreensível para os padrões da época, que se passa no século XIX), ela é bastante revolucionária e interessante. Edgar, como dito anteriormente, parece não passar de um vilão mulherengo. Na verdade é um cara que já passou por muitas dificuldades e que quer vingança, reconhecimento e que é capaz de utilizar qualquer meio para chegar ao fim. É bastante leal aos seus amigos, tem um grande senso de justiça e um charme inegável. Essa sua personalidade galanteadora e cheia de falhas faz com que ele transmita uma sensação de insegurança, como se ele pudesse trair a todos a qualquer momento e nunca falasse sério. Eu acho que o que faz de Edgar tão envolvente e perfeito para Lydia é justamente o fato de ele possuir tantos defeitos e contradições, distanciando-o dos heróis tradicionais, mas trazendo-o mais para os heróis da realidade.

 A atmosfera mágica está no anime inteiro!

Há outros personagens cativantes, como as fadinhas que aparecem no decorrer da história. É interessante notar como os irmãos Ermine e Raven são responsáveis e fiéis a Edgar, sendo capazes de dar a própria vida para protegê-los. Raven é moreno, olhos verdes e cara de criança, embora já seja um homem. É metade fada e sempre foi discriminado por isso, tendo sido acolhido apenas por Edgar. Não parece ser muito bom em relações sociais e em distinguir bem as coisas, e é por isso que seu caráter depende tanto do de Edgar (que é quem define tudo o que o rapaz deve fazer). Apesar de ser tão agressivo em batalha, é um rapaz bastante gentil e inocente. Sua irmã, Ermine, passa a maior parte do tempo dada como morta. Ela se torna uma selkie, uma lenda interessantíssima de seres meio humanos, meio foca, que são espíritos daquelas pessoas que morrem no mar. Os selkies, se tiverem a pele de foca roubada, tornam-se "presos" àquele que a possuir. Ela também parece vilã a princípio, mas tudo o que fazia era pensando nos amigos. É muito séria assim como Raven, mas o pouco que vemos de sua real personalidade é o suficiente para criar simpatia.

Alguns dos personagens de forma muito mais fofa!

Há também o artista Paul, que é tímido, doce e desajeitado, com cabelos castanhos e cacheados. Ele é um pintor que queria ser poeta (mas faz versos horríveis) e usa as fadas como a maior fonte de inspiração de suas obras. Acredito que ele e Lydia combinavam bastante em vários aspectos, mesmo que um romance entre eles não passasse de especulação. Há Ulysses, que é um dos vilões e subordinado do mal maior, o Príncipe. Ulysses também é um Fairy Doctor e possui o sangue do Conde cavalheiro azul, e usa seus poderes para controlar as fadas. Apesar de toda a sua maldade e arrogância, é um cara bastante gato. Por fim me restaram os meus dois personagens preferidos: Nico e Kelpie. 

Lydia, Edgar e Raven (o eterno empata foda, que chegava toda vez que os dois pensavam em fazer qualquer coisa), hahaha

Kelpie é mais uma criatura mágica em forma de cavalo e que odeia fígado. Inclusive, ele devora humanos e é temido por várias fadas e criaturas. Sua forma humana é especialmente agraciada: pele morena, cabelos negros e olhos escuros. Ele é lindo, atrevido e até um pouco rude, mas definitivamente charmoso. Faz de tudo para conquistar Lydia (até roubar a lua) e a respeita (mesmo que às vezes ela tenha que batê-lo para que ele saiba os limites). Ele sempre esteve ao lado da mocinha e quer apenas o seu bem, e aos poucos é possível perceber que o que sente por Lydia não é apenas um desejo e capricho, mas amor. Por mais que Edgar seja um encanto, Kelpie tem seus atributos. E mesmo sabendo que ele e Lydia jamais ficariam juntos, não deixei de torcer. 

Raven, Edgar, Lydia e Ermine... Não podemos esquecer de Nico, sentado elegantemente num dos degraus!

Já Nico... Nico é adorável! É uma fada na forma de um gato que conversa, anda, faz mágica e bebe uísque. Ele gosta de ser tratado como um cavalheiro, veste roupinhas e é um pouco abusado. Eu adoro o jeito que ele conversa, de forma tão elegante e quase com arrogância, deixando sua marca registrada. É bastante fiel à Lydia, prezando sempre seu bem, mas não deixando de lado a própria vaidade. Todas essas características unidas ao fato de que ele é um gato (e eu amo gatos) faz dele apaixonante. Ele é tão bem desenhado e fofo que dá vontade de estar lá para abraçá-lo!

Lydia, Edgar e Kelpie (que também se chama Caim?). Tão difícil escolher...

A única coisa que o anime deixa a desejar é o eterno defeito dos animes/mangás/doramas onde um beijo é a coisa mais rara do mundo! No caso dos mangás e animes, parece-me que eles não sabem dosar o contato físico entre os personagens, sendo alguns absurdos e vulgares, e outros com praticamente nada (nem apertos de mãos). O beijo de Lydia e Edgar foi esperado por mim todo o anime, e poderia ter acontecido várias vezes. Tudo isso faz parte do romance e não é apelativo a partir do momento em que respeita a personalidade dos personagens, é feito com delicadeza e romantismo e de forma sutil, jamais ultrapassando os limites da vulgaridade. De qualquer forma, vale muito a pena ser assistido!


Nenhum comentário:

Postar um comentário