Páginas

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Por que não eu?

Poderia ser qualquer outra pessoa. Poderia ser aquela menina do teatro que te chamava para sair todo santo dia. Podia ser a amiga da sua irmã mais velha, que não conseguia parar de te olhar quando as duas faziam trabalho juntas na sua casa. Podia ser todas as garotas que cruzavam seu caminho, porque você tinha uma espécie de magnetismo sobre elas. Não conheço uma que não tenha se apaixonado instantaneamente. Poderia ter sido eu.
Mas não poderia ter sido sua melhor amiga. Não poderia ter sido a garota mais sem noção entre todas as outras, que te perseguia até os confins do mundo. Não poderia ter sido uma menina que estava sempre brincando e gritando para o mundo o amor por você com um sorriso gigante no rosto. 
Mas essa mesma garota... Era aquela que estivera sempre ao seu lado. Aquela que foi o seu par romântico na peça mais importante da escola e que você teve que beijar. Você sempre foi um ótimo ator. Ela não teve que interpretar muita coisa para fazer aquilo. Aquela com quem você estudou junto para o vestibular. Aquela com quem você iniciou a faculdade no mesmo curso, na mesma sala... Aquela que penteava seus cabelos, te acompanhava nas festas, te arrancava sorrisos quando as lágrimas eram evidentes. Aquela garota que a vida inteira te deu conselhos amorosos, mesmo que aquilo a matasse por dentro, muito lentamente
Então... Poderia ter sido eu, não é? Alguns dias atrás me perguntaram qual era o meu tipo de cara. Minha resposta foi rápida: alto, pálido, olhos azuis, cabelos compridos e negros... E só então me dei conta de que tinha uma imagem bem específica em mente. Não seria mais fácil simplesmente dizer o seu nome?
Eu poderia fazer você feliz. Então... Por que não eu? Todas as noites eu digo a mim mesma que poderia ter sido eu por quem você se apaixonou. E quando você se joga na minha cama, suspirando a cada cinco minutos, eu tenho vontade de me jogar ao seu lado. Quando você agarra aquele ursinho de pelúcia com tanta ternura eu me reviro por dentro... Você poderia me agarrar, ao invés. E quando você diz "eu não sou feito para relacionamentos que dão certo", tudo o que eu quero dizer é que tem razão; você foi feito para mim.
Então, da próxima vez que for lá em casa e eu te preparar um jantar caseiro e delicioso, por que você não simplesmente se senta comigo frente a frente naquela mesinha minúscula e deixa que eu te aprecie a noite toda? Que meus olhos pousem nos seus, e dessa vez serei eu a suspirar. E então, depois, talvez eu possa passar meus dedos entre seus cabelos. Se não gosta da ideia, talvez meus dedos se entrelacem nos seus. E aquela noite... Aquela única noite... Eu te amaria para a vida inteira. Por que não?

Nenhum comentário:

Postar um comentário