Páginas

sábado, 14 de janeiro de 2017

Cabelo cinza (como pintar) [Hair]


Já faz um tempo que não falo sobre cabelo aqui. Isso porque, desde o cabelo rosa, passei por muitas outras fases e fiquei, por um bom tempo, com o pretinho básico. Também decidi mudar radicalmente o corte, e foi aí que minha complicada empreitada para alcançar o branco começou.
Sempre fui fascinada por cabelos brancos e platinados, e numa próxima postagem falarei sobre como consegui-los e os cuidados especiais que devem ser tomados. Mas agora falarei sobre os cabelos cinza, que estão super em alta e são lindos. Alcancei essa tonalidade meio sem querer, mas gostei e fiquei com ela por algum tempo.

O tom que meu cabelo ficou depois do processo de descoloração.

A primeira dica é a de sempre: quanto mais claro for o cabelo, mais chances haverá de a tinta pegar e ficar no tom desejado. Tonalidades como essa não pegam em cabelos pretos nem em castanhos muito escuros. Por isso, como no meu caso, o ideal é descolorir o cabelo. Você pode fazer luzes ou mechas, ou se preferir e tiver coragem, descolorir inteiramente o cabelo, direto, no processo que os salões chamam de "decapagem". É difícil encontrar salões que aceitem fazê-lo; isso porque é um processo bastante agressivo e que pode ter resultados drásticos nos cabelos (eles podem estragar ou simplesmente cair). No entanto, se feito corretamente, não existem riscos. É importante que o seu cabelo esteja forte para encará-lo, e que depois dele você faça bastantes hidratações e cuide para que ele não quebre nem ocorra nada desagradável. Minha experiência pessoal foi: meu cabelo estava forte, já que o deixei preto e sem químicas por um longo período, por isso não sofreu muito; no entanto, por causa das antigas tinturas, a descoloração não foi perfeita e o tom máximo que alcancei foi o amarelo (bem forte e, como costumam dizer, cor de gema). Quanto melhor e mais profissional o descolorante for, melhor será o resultado. 

Meu cabelo logo após a descoloração.

Alguns descolorantes mais fortes chegam a clarear o cabelo em até oito tons, mas eles não são indicados se seus cabelos estiveram enfraquecidos. Podem ser feitas mais de uma descoloração no mesmo dia, direto, mas não é muito recomendado por ser bastante agressivo para o cabelo. O ideal é descolorir, dar um tempo para o cabelo "respirar" e então descolorir de novo até atingir o tom desejado. No meu caso, descolori duas vezes no mesmo dia (perigo) e ele não clareou tanto por causa da tinta escura que estava no meu cabelo (pintar cabelo de preto é quase sentença para nunca mais conseguir pintar de novo, considerando o quanto prejudica quando tentamos). Enfim: fiz todo o procedimento num salão de beleza, o único que aceitou fazê-lo, porque eu me responsabilizei inteiramente por qualquer coisa que pudesse acontecer. No entanto, você pode fazer em casa, comprando os produtos com cuidado e pedindo a ajuda de alguém que entenda pelo menos remotamente do assunto. O descolorante não pode ficar tempo excessivo no cabelo, por exemplo, e esse é um dos muitos cuidados que devem ser tomados.

Fetiche (da Loreal).

Enfim, depois de descolorir o cabelo vem a coloração. Indicarei duas tintas que utilizei e que deixam os cabelos bem cinzas e são de boa qualidade: Keraton prata Cendré e Loreal Ice Colors (no caso usei a 12.111, chamada Fetiche). A Loreal Ice Colors possui outras tonalidades que talvez possam te agradar mais, mas eu escolhi a mais clara delas. Essas tintas servem também para platinar os cabelos, mas devem ser manuseadas com muito cuidado nesse caso, porque, passando pouquíssimo do ponto, deixam o cabelo completamente cinza. E, como essa é a nossa intenção, elas funcionam perfeitamente. A Fetiche é uma tintura muito forte; em algumas vezes, ao usá-la na minha raiz preta, ela fazia com que o cabelo ficasse num tom castanho, quase como se fosse uma espécie de descolorante (e quase tinta nenhuma funciona no preto). 

Prata Cendré (Keraton).

Então, a dica que eu dou ao usar ambas as tinturas indicadas é: tome cuidado e vigie o tempo. Se passar muito, você pode acabar causando um desastre na cor. Tive uma experiência terrível com a Fetiche e nunca mais usei; isso porque, numa das colorações, a deixei demais no meu cabelo, que de cinza passou para azul. E o azul, no caso, não é bonito e colorido, mas um azul manchado e meio chumbado. Então é legal vigiar o tempo inteiro e, por essas tintas serem normalmente roxas, não dá para olhar a tonalidade como outras. Em caso de dúvida, é melhor tirá-la.

O resultado final (no caso das fotos, foi após passar a Fetiche).

Enfim, não é um processo complicado em teoria, mas na prática muitos fatores são envolvidos: é caro, demorado e cheio de cuidados. Depois de fazer o cabelo passar por tudo isso, ele vai precisar de muitas hidratações para não se quebrar. Como sempre digo, não é a tintura que estraga o cabelo, mas a descoloração. Fazer tudo isso em casa pode dar trabalho, mas é muito mais barato. Para quem quer mechas só precisará dar uma manutenção na cor, que desbota para o loiro (e isso pode ser feito até com xampus matizadores). Mas para quem quer o cabelo inteiro tingido, tem que retocar com certa frequência também a raiz.

A tonalidade da Prata Cendré é bem parecida com a Fetiche.

De qualquer forma, todo o esforço vale a pena para ter essa cor linda e super ousada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário