Páginas

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Episode: Campus Crush [Game]


Campus Crush é outra historinha do Episode. Essa é gigantesca: tem mais de cem capítulos! Mas, ao contrário das outras menores, cada capítulo é mais curtinho também, o que justifica os números. E, vale lembrar, cada capítulo acaba numa parte crucial, simplesmente para morrermos de curiosidade e lermos o próximo.

Hayes, o nerdão esquisito, mas muito fofo. 

A história é sobre uma garota que acaba de entrar na universidade através de uma bolsa de estudos. Você não pode escolher a aparência dela, nem dar um nome livremente, mas tem que escolher entre alguns dos que são sugeridos. A minha escolha foi Rebecca. Também pode escolher o curso que ela faz, e a minha escolha foi Literatura (por que será? haha). E a partir do jogo você vai moldando a personalidade da personagem, dando seus toques pessoais. Rebecca consegue essa misteriosa bolsa e não sabe quem a deu, só sabe que, para mantê-la, tem que entrar numa das sororities (como é a tradução em português?). As principais são Eta, Omicron e Upsilon. Rebecca então só consegue pensar nisso e acaba se atrapalhando muito com as aulas. Se ela será uma boa ou má estudante também é escolha sua, assim como os amigos que fará nessa trajetória.

Rebecca e Byron, o meu escolhido para o romance: o típico hipster líder de banda.

Sobre as sororities: Eta é o grupo das populares, Omicron das rejeitadas e Upsilon das estudiosas, a grosso modo. As Upsilon são as garotas mais espertas e inteligentes e estão sempre ganhando prêmios e méritos por seus talentos. Não se importam com festas ou garotos; o que realmente querem é ter uma brilhante carreira acadêmica, e os estudos estão acima de tudo. Não pude conhecê-las a fundo, mas parecem ser muito gentis. Omicron já pouco se importa com as notas, ou com popularidade, ou tudo que considerem futilidades ou imposição da sociedade. São alternativas e se vestem como querem, sem seguir modas ou tentar parecerem bonitas. Gostam de dar festas, mas tudo do jeitinho delas. A casa está recheada de hipsters e as garotas são rejeitadas porque não se encaixam nos padrões da universidade ou da sociedade, e se recusam a se encaixar. Têm personalidades muito fortes, mas são muito legais! Eta é, infelizmente, a que eu mais conheço. Certamente me identifiquei mais com Omicron, mas o desenrolar dos fatos não me permitiu estar junto a elas. As Eta são as garotas mais bonitas e populares do campus, estão sempre na moda e nos holofotes e a única coisa com que se preocupam é a reputação que têm. A irmandade para elas significa emprestar roupas uma as outras, dar festas luxuosas e não roubar os namorados das irmãs. No processo de iniciação das novatas, elas têm que provar sua crueldade e futilidade, que mais representa a casa. Uma das atividades, por exemplo, é tirar fotos de garotas com roupas que elas consideram terríveis, além de comentar o que está errado em alto e bom tom, na frente da garota, num processo de humilhação que não é raro por lá. Outro deles era de que cada uma das garotas ficaria encarregada de um rapaz do Xi (a casa dos rapazes bonitões, fortões, praticamente uma Eta, mas masculina) e entretê-lo. As Eta prezam muito pela reputação que têm com esses rapazes e as casas são complementares: estão sempre dando festas juntos, namorando um com o outro e será por quê? hahaha

Algumas das Eta girls... A loira é Prissy, a líder e mais cruel de todas. Praticamente o Diabo em pessoa.

A história principal é bastante complexa, confusa e cheia de mistérios. Me desagrada um pouco a demora para as coisas começarem a ser esclarecidas; a gente passa praticamente o jogo inteiro no escuro, sem entender nada, até que no fim todas as bombas estouram de uma só vez. Para quem não tem paciência, certamente não vai gostar. Rebecca tem muito mais segredos do que imagina, todos envolvem seu passado e sua família. No meio de todo o drama, ela tem que conciliar ainda as notas, os rapazes e a sorority que decidir entrar. Uma loucura!

Angie, a melhor amiga de Rebecca e provavelmente a personagem que mais detesto. Até mais que a Prissy!

Sinceramente, se eu fosse a Rebecca, já teria chutado o balde. Ela está cercada de cobras, e continua as alimentando. É muito manipulada por todos e não faz nada, não tem controle da própria vida. As Eta por exemplo escolhem até mesmo com quem ela pode sair; ela evidentemente não pertence àquele lugar, mas continua insistindo, quando poderia simplesmente mandar todas elas para o inferno, além de ensiná-las uma boa lição. A certa altura, tudo o que eu queria era que Rebecca largasse esses falsos amigos, as sororities, as aulas, tudo, e se dedicasse a ela mesma, ao que ela quer fazer. 

Rebecca, Angie Falsiane e Kyle, um dos rapazes Xi bonitão.

O final do jogo é bastante vago, e não me agradou muito também. Fica um mistério, deixando abertura para uma segunda temporada, mas as pontas soltas são muitas, e incomodam. O romance também é pouquíssimo desenvolvido. Além desses fatos, os bonequinhos não são muito bonitos e bem desenhados, as escolhas não são assim tão amplas e muitas coisas poderiam ser melhores. 
Certamente não foi o melhor que eu já joguei, mas fui até o final e até que foi divertido. Vale a pena tentar. 

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Episode - Demi Lovato: The World Tour [Game]


Demi Lovato: The World Tour é a segunda temporada das histórias da Demi: a primeira, já comentada por mim anteriormente, é Demi Lovato: Path to Fame. Na segunda temporada, as suas escolhas da primeira são refletidas: com quem você escolheu ficar e as decisões que tomou.

Demi, impecável como sempre. 

Depois de todos os conflitos da primeira temporada, a sua personagem já conquistou uma sólida carreira na música. Tem singles de sucesso, fãs fiéis e sua fama cresce a cada dia. As oportunidades se expandem ainda mais quando é convidada a fazer o show de abertura para a Demi Lovato em sua nova turnê, e ainda melhor: na Europa!

Uma bff é sempre uma bff... Mandi. 

É então que surgem novos desafios: além de ter que se ajustar a rotina pesada da turnê, ainda tem que escrever todas as músicas para um álbum completo! É mais importante concluir esse álbum, ou aproveitar a experiência da turnê? Festas, ou ficar no hotel compondo? Ajudar os amigos de turnê, ou se dedicar completamente a sua carreira? Essas são algumas das escolhas que temos de fazer.

Selfie com a rainha.

Muitos personagens da primeira temporada estão de volta, combinados com novos que têm papéis fundamentais na trama. Os membros da turnê são como uma família e, mesmo que você esteja longe de cada até mesmo no Dia de Ação de Graças, você nunca está sozinha. O maior conflito é amoroso: você conhece Ryland, uma celebridade francesa, que também é uma das aberturas para o show da Demi e a acompanha na turnê. Ele é, além de bonito e talentoso, cheio de charme. Fala pelo menos três línguas, conhece todos os lugares que visitam e tem uma ampla bagagem cultural, e leva muito jeito com as mulheres. Para completar, ainda é primo de uma princesa de verdade! 

Como se não bastasse, Ryland ainda é da realeza. 

Por isso, a personagem entra num conflito emocional: deve se deixar levar por esse príncipe encantado, ou continuar firme e forte com o seu amor verdadeiro, encontrado na temporada anterior? Vários fatos contribuem para que ela se sinta confusa e dividida, e é a sua escolha que vai decidir com quem ela fica. Eu, particularmente, me senti em dúvida durante muitos momentos, mas por fim não pude trocar meu querido Alex. 


Aquele climão...

Essa temporada é mais curtinha, mas cheia de momentos emocionantes. E adivinhem? Tem continuação! 

domingo, 13 de dezembro de 2015

Episode - Demi Lovato: Path to Fame [Game]


Episode é um jogo estilo visual novel, onde você tem as famosas escolhas, opções de romance e, no geral, muita liberdade para tomar os caminhos que desejar. Mas tem uma grande diferença em comparação com o que venho mostrando até então: não é um único jogo, mas uma série de jogos dentro de outro jogo!

Em breve post sobre Mean Girls!


Não é tão confuso quanto parece. No Episode você encontra vários jogos para poder escolher, e se você mesmo tem experiência em criar visual novels, mesmo que não profissionalmente, pode colocar seu jogo lá. Não é preciso pagar nada para jogar, basta esperar que a cada dia os seus tickets sejam repostos. Você tem em média três tickets e cada um permite ver um episódio, ou capítulo, do jogo em questão, e em algumas horas eles são repostos e você pode continuar sua aventura. Em sua página inicial, você pode encontrar os jogos que já concluiu, os que ainda está jogando, e sugestões sobre os mais populares. Dá para perceber que alguns deles são mais independentes, e por isso não possuem tantos recursos quanto o que vou falar sobre hoje: Demi Lovato: Path to Fame


Já dá para imaginar sobre o que o jogo se trata. Tem apenas 26 episódios, mas longos e cheios de trama, e é fácil perceber que não foi criado por amadores: o jogo tem as músicas da Demi Lovato como background, os personagens tem uma imagem linda e muito bem desenhada e o que mais me impressionou: a personagem Demi Lovato é dublada pela voz da própria, o que faz com que o jogador se sinta mais envolvido na trama e próximo da cantora. 

Alex, uma das opções de romance, e a minha escolha.

Mas sem enganos: o jogo não é direcionado apenas a quem é fã da Demi. Na verdade conta a história de uma menina, você, que sempre sonhou em cantar profissionalmente e um dia se envolve numa grande confusão para ir a um concerto da Demi Lovato, de quem é muito fã. Sua melhor amiga te ajuda e vocês, juntas, conseguem entrar no show e melhor: você se inscreve num concurso de canto, e a vencedora poderá cantar com a Demi Lovato não só no palco, mas em sua turnê, e ainda ganhará um patrocinador. É a partir daí que tudo na vida da personagem muda e surgem novos conflitos: como alcançar a fama, sem deixar se levar por ela e abandonar suas origens? Como conciliar o trabalho, a família e os amigos? E como lidar com o amor nessas circunstâncias, principalmente quando ambos são celebridades? 

Eu e minha melhor amiga, Mandi.

Aqui vão os meus pontos preferidos no jogo: você pode criar a sua personagem como quiser. Existe uma quantidade considerável de penteados, traços e cores de pele para que você faça sua personagem o mais parecida possível, ou exatamente do jeitinho que você quer e acha bonito. O mesmo acontece com a sua melhor amiga; nas duas personagens você escolhe o nome, a aparência e deixa tudo um pouco mais a sua cara. Outro fator interessante é que existem as escolhas de romance e você pode, no início do jogo, optar por romance com rapazes, meninas, ou com os dois. Viva a diversidade!

Selfie com o boy magia...

As escolhas são muito livres e quase sempre você tem que decidir se vai valorizar seus amigos, sua fama ou o seu amor. Além dos romances com as celebridades que vai conhecer, existe também o Sam, seu ex namorado não famoso. Se coisas muito ruins estiverem acontecendo, não se desespere: alguns eventos acontecem independentemente de nossas escolhas, porque direcionam a história. Existem os trajes que ganhamos ao desbloquear cada cidade e novos eventos, mas existem também aqueles especiais e únicos que você pode comprar com diamantes. Os diamantes podem ser conseguidos no decorrer do jogo, mas podem ser, tanto quanto os tickets para jogar, comprados com dinheiro real. Há também histórias alternativas e curtinhas que você desbloqueia aos poucos, como por exemplo a do aniversário da Demi. São bônus e apenas complementam a principal, que é onde suas ações realmente interferem.

E tem beijo sim, viu?

Gostei muito de todos os aspectos do jogo. Tem um tema que vem sendo discutido há muito tempo, mas que nunca fica gasto: o poder da fama. Mostra os lados positivos e negativos daquilo que tantas pessoas passam a vida inteira buscando e nos passa a mensagem de que, por mais que você almeje aquilo, ninguém vive feliz sem as pessoas que ama. O seu maior sonho pode se tornar um pesadelo a partir do momento que se esquece do seu amor por aquilo que está fazendo em prol da fama e do dinheiro, e esse é um caminho doloroso, que passa por cima de quem você é, para conseguir sempre mais. Você se torna um fantoche num mundo de gigantes que disputam por poder e o que parece tão glamouroso, é mais feio e podre do que se imagina. No final, basta se lembrar de quem realmente é e, independente do que aconteça, não abandonar isso. É o que acontece no jogo: o amor, seja pelos familiares, amigos, amante, ou o próprio amor pela música, prevalece acima de tudo. 

É um convide sim, lyndo. 

Em breve postagens sobre a continuação dessa história, e outras diferentes do Episode. Até a próxima!

Recadinho sobre mim: posso ser linda, mas sou cruel, hahaha